17set/210

Pesquisa Exata: Iolando é o 9° colocado entre os 24 distritais e tem 50% de aprovação em Brazlândia

Considerado um dos mais atuantes na Câmara Legislativa, Iolando Almeida, tem tudo para ser reeleito em 2022

O deputado distrital Iolando Almeida demonstrou entusiasmo com o reconhecimento da população do DF a sua atuação no parlamento de Brasília.

Na pesquisa do Instituto Exata o parlamentar do PSC aparece entre os 10 mais atuantes da Câmara Legislativa e dentro de sua base eleitoral o representante da pessoa com deficiência surge com 50% de aprovação.

Procurado pelo o blogdogbu o distrital Iolando não escondeu sua alegria com os números;" Estamos trabalhando muito. E quero me dedicar ainda mais na defesa das pessoas. Nesse momento de crise e pandemia precisamos nos desdobrar para contribuir ao máximo no apoio a população", disse Iolando.

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17set/210

Pesquisa realizada pelo Instituto EXATA OP coloca Ibaneis com 48,1% de aprovação

A pesquisa foi realizada entre os dias 15 e 26 de agosto e foram ouvidas 4.090 pessoas. Também foram avaliados o presidente Jair Bolsonaro e os deputados distritais. A metodologia utilizada apresenta uma margem de erro de 1% e intervalo de confiança de 98%

Governo Federal

Perguntados como avaliam o desempenho do governo Bolsonaro, 14,8% acham Ótimo, 16,6% Bom, 20% Regular, 10,9% Ruim e 35,6% acham Péssimo. Já os que não souberam responder o percentual ficou em 2,2%.

Quando a pergunta direciona para a aprovação de Jair Bolsonaro, 38,3% aprovam, 56,5% desaprovam e 5,2% não souberam responder.

Governo Local

Foto: Divulgação internet

No caso do governo local (Brasília), a avaliação de desempenho do governo Ibaneis Rocha (MDB) apresenta que 5,4% acham Ótimo seu governo, 23,9% Bom, 42,1% Regular, 11,8% Ruim e 15,3% acham Péssimo. Já os que não souberam responder o percentual ficou em 1,5%.

O governador também foi testado no quesito aprovação. O desempenho pessoal do governador apresentou os seguintes números através das pessoas ouvidas: 48,1% aprovam a pessoa de Ibaneis, 44,5% desaprovam e 7,4% não souberam responder.

Vicente Pires (66%), Lago Norte (65%), Park Way (64%) e Sobradinho (61%) são as cidades com maiores percentuais de aprovação de Ibaneis Rocha.

Deputados Distritais

Já para o caso dos deputados distritais, a pergunta girou em torno de quem se apresentava como mais atuante no desempenho de suas funções.

O deputado Chico Vigilante (PT) liderou com 8,9% seguido do presidente da Câmara, Rafael Prudente (MDB) com 4,5% dos votos dos entrevistados. Na lanterninha aparecem os deputados José Gomes (Sem partido) e Guarda Jânio (0,3%), sendo que esse último assumiu a cadeira de suplente no último dia 18 de junho, contraiu a COVID-19 e passou mais de 30 dias afastados de suas funções.

Deputado João Hermeto (MDB), Líder do Governo

Hermeto chega a 50% de aprovação

Um dado interessante nas pesquisas diz respeito ao Líder do Governo no DF, o deputado João Hermeto (MDB). Dentre todos os distritais, Hermeto foi o único a alcançar um percentual de 50% de aprovação em suas bases. No Núcleo Bandeirante e Candangolândia, suas bases mais fortes, esses percentuais ficaram em 50% e 33,3%, respectivamente. Hermeto é um exemplo de dedicação às suas comunidades e inspirou muitos dos demais 23 deputados da Casa Legislativa.

Intenção de votos para 2022

Na pesquisa ESPONTÂNEA, perguntado aos entrevistados em quem votariam nas próximas eleições para governador do DF, o atual governador Ibaneis Rocha dá um banho em seus adversários. Lidera as intenções de votos com 16,6% dos votos, deixando a segunda colocada, a deputada federal Flávia Arruda (PR) com apenas 1,3% das intenções de votos.

O senador Reguffe (Podemos), que tem a tradição de só aparecer próximo aos períodos eleitorais e que sabe-se ser um concorrente ao Buriti, aparece na pesquisa com 0,9% das intenções de votos, ficando atrás dos ex-governadores Rollemberg e Arruda.

Na pesquisa ESTIMULADA, Ibaneis novamente lidera com mais da metade das intenções de votos em relação ao segundo colocado. O atual governador aparece com 28% dos votos, enquanto a senadora Leila Barros (Cidadania) aparece com 12,3% e o senador Reguffe com 10,6%.

Deputados militares na fita

Se as eleições fossem hoje, os deputados que representam a segurança pública do Distrito Federal estariam reeleitos pelo voto direto. João Hermeto (PMDF) e Rooseevelt Vilela (PSB) apresentam um percentual de 0,5% e 0,6% de intenção de votos, ficando na 16ª e 12ª posição, respectivamente, preservando suas cadeiras.

Federais

Para o cargo de deputado federal, a pesquisa apresenta o ex-senador Cristóvam Buarque com 10% de intenção de votos, fechando as 8 vagas disponíveis com o também ex-deputado federal e atual presidente do DEM-DF, Alberto Fraga, com 4,1% de intenção de votos.

Opinião Brasília.com

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17set/210

Bolsonaro propõe reduzir R$ 22,4 bi em benefícios fiscais até 2026

Projeto tramita no Congresso para baixar o patamar dos subsídios de 4,3% para 2% do PIB

Foto: Agência Brasil/Arquivo

O governo do presidente Jair Bolsonaro enviou ao Congresso Nacional o projeto de Lei 3203/21, que propõe a redução de R$ 22,4 bilhões de benefícios fiscais até o ano de 2026. O objetivo é reduzir o patamar dos subsídios para até 2% do Produto Interno Bruto (PIB) em um prazo de oito anos.

Os subsídios tributários concedidos pela União atingiram R$ 320,7 bilhões em 2020, o que representa 4,31% do PIB. Para este ano, a previsão de gastos tributários é de R$ 307,9 bilhões.

A proposta institui o Plano de Redução Gradual de Incentivos e Benefícios Federais de Natureza Tributária, estabelecido pela Emenda Constitucional 109, promulgada em março deste ano e conhecida como PEC Emergencial. O corte de subsídios era uma das exigências para permitir a prorrogação do auxílio emergencial.

Observe a evolução dos benefícios fiscais da União:

Arte: Agência Câmara de Notícias

Exceções

Os subsídios têm como objetivo fomentar a atividade econômica por meio da correção de falhas ou imperfeições de mercado, ou ainda combater desigualdades sociais e regionais. No entanto, esses gastos reduzem o potencial de receita e por isso afetam o resultado primário do governo federal.

Seguindo as determinações da Emenda Constitucional 109, o projeto não altera os incentivos fiscais relativos à cesta básica, às micro e pequenas empresas, à Zona Franca de Manaus, às bolsas de estudantes e outras imunidades tributárias previstas na Constituição. Esses gastos, que somam R$ 150,5 bilhões, ficariam de fora do cálculo da meta.

De acordo com este quesito, o governo teria de reduzir apenas R$ 4,2 bilhões em subsídios ou 0,06% do PIB. No entanto, a emenda constitucional também determinou um corte de no mínimo 10% nos gastos tributários, no primeiro ano. Isso equivale a R$ 15,75 bilhões.

Cinema e autopeças

Entre os benefícios fiscais que serão reduzidos estão R$ 15,3 bilhões revogados a partir de 2022 pela reforma do Imposto de Renda (PL 2337/21), aprovada pela Câmara dos Deputados e ainda em discussão no Senado.

Para cumprir o corte mínimo de 10% no primeiro ano, o PL 3203/21 também vai revogar o benefício da redução de 70% no IRRF sobre as remessas na aquisição de obras audiovisuais estrangeiras, oferecido como compensação para investir no cinema nacional, telefilmes ou minisséries brasileiras. A estimativa é que a redução no subsídio seja de R$ 297 milhões.

A proposta ainda reduz o valor de estimativas de renúncia decorrente do benefício de redução do IPI na importação de autopeças dos atuais R$ 667 milhões para R$ 469 milhões. A diferença corresponde a uma redução de R$ 198 milhões na renúncia fiscal.

As demais reduções serão feitas gradualmente, por meio da não prorrogação de outros benefícios fiscais que já tinham data certa de encerramento e que não mais serão renovados. Dessa forma, acabarão sete benefícios em 2022, quatro que findam em 2023, oito em 2024 e um com o prazo final previsto para 2025. (Com informações da Agência Câmara de Notícias)

 

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
17set/210

Conheçam os deputados federais que votaram contra PMs, bombeiros militares, promotores e juizes

Os deputados do Distrito Federal,Celina Leão-PP, Julio César- Republicanos, Israel Batista- PV e Erika Kokay- PT, votaram pela quarentena de quatro anos para policiais civis, policias militares,  bombeiros militares, juízes e promotores, que queiram se candidatar a partir de 2026.
A proposta foi aprovada por membros do centrão e da esquerda na câmara dos deputados.
Com esta aprovação o militar para participar das eleições de 2026 terá que pedir baixa da corporação até o mês de julho de 2022.
Se a proposta for aprovada no senado federal a próxima eleições será a última em que militares da ativa poderão concorrer a um cargo eletivo.
Após a divulgação da votação de cada deputado, lideranças militares foram as redes sociais demostrar sua insatisfação.
Bia Kicis-PSL, Laerte Bessa-PL, Luis Miranda-DEM e Paula Belmonte-Cidadania, votarão contra a quarentena.
Com informações do Congresso Em Foco
Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn