27set/210

Luciano Hang estuda se fantasiar de super-herói para depor na CPI

O empresário Luciano Hang, dono das Lojas Havan, foi convocado para depor na CPI da Pandemia na quarta-feira

Reprodução/Instagram
O empresário Luciano Hang, dono das Lojas Havan, foi convocado para depor na CPI da Pandemia na quarta (29/09). O empresário catarinense estuda comparecer à comissão de investigação fantasiado de super-herói ou Zé Carioca.

O diabo é que o manual de eventos no Congresso Nacional estabelece traje masculino composto de paletó, calça, camisa e gravata. No entanto, a Casa já foi flexível com lideranças indígenas, que entraram com seus enfeites na cabeça compostos de penas de aves nativas, cocares no pescoço e rosto pintado.

Veja mais no Blog do Esmael, parceiro do Metrópoles.

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
27set/210

Bolsonaro inicia por Alagoas e Bahia a série de inaugurações no Brasil

Presidente reunirá políticos alagoanos e ministros na cidade de Teotônio Vilela

Presidente Jair Bolsonaro entre o presidente da Câmara Arthur Lira e o senador Fernando Collor, na inauguração do Canal do Sertão Alagoano. Foto: Alan Santos/PR/Arquivo

Será iniciada amanhã (28) pela Bahia e por Alagoas a intensa agenda de inaugurações pelo Brasil na qual o presidente da República Jair Bolsonaro celebra os 1.000 dias de seu governo.

O presidente reunirá caciques da política alagoana, como o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e o senador e ex-presidente da República, Fernando Collor (PROS), no município de Teotônio Vilela, no Leste de Alagoas, onde será inaugurado um conjunto habitacional.

O site da Presidência da República indica que a entrega do Residencial Dr. Marcelo Vilela ocorrerá às 15h30, com a presença do chefe do Palácio do Planalto, acompanhado por ministros do governo e de políticos locais. O evento acontecerá na Avenida Panorâmica, no bairro Deputado Benedito de Lira, naquele município, distante 101 km de Maceió.

Agenda na Bahia

A comitiva presidencial iniciará a agenda desta terça-feira (28) em uma visita à cidade de Teixeira de Freitas, no interior baiano, onde Bolsonaro vai participar da entrega de títulos de propriedades rurais e inaugurar trechos de duplicação das rodovias federais BR-101 e BR-116, que cortam aquele município. O ponto de encontro será na Rua Alfredo Medeiros, Vila Vargas, no bairro São Lourenço.

Por videochamada, Bolsonaro ainda participa no mesmo dia de um terceiro evento sediado no Nordeste, ao lançar no município de Mossoró (RN) o programa Wi-Fi Brasil, para conexão gratuita via satélite de internet banda larga. Presencialmente, estará o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Roraima

Na quarta-feira (29), Bolsonaro estará em Boa Vista (RR) para inaugurar a Usina Termelétrica Jaguatirica II, assinar o contrato de Concessão dos Aeroportos do Bloco Norte I e entregar veículos do Programa Alimenta Brasil.

Na quinta (30), o presidente deverá seguir sua agenda em Belo Horizonte (MG), onde visitará uma estação de metrô acompanhado do ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

No último dia da celebração dos 1.000 dias, a previsão é de que Bolsonaro se divida em duas agendas: em Anápolis (GO), onde estará para a assinatura do contrato de concessões de BRs; e Maringá (PR), para solenidade de inauguração das obras de ampliação da área operacional do aeroporto local. (Com informações da Gazetaweb)

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
27set/210

Temer;” Divulgação do vídeo foi para criar intriga”

Atual presidente disse para o antecessor "não esquentar a cabeça" com isso

Ex-presidente da República Michel Temer - Foto: reprodução Band

 

O ex-presidente da República Michel Temer nega que o vídeo em que aparece rindo com a imitação do atual presidente Jair Bolsonaro tenha sido divulgado com a intenção de demonstrar, de alguma maneira, que não está alinhado com o atual governo.

A gravação mostra o ex-presidente rindo muito enquanto Bolsonaro é imitado por um rapaz, filho do empresário carioca Paulo Marinho, que, de aliado, passou à condição de adversário político do atual presidente.

O vídeo foi divulgado após a intensa repercussão de sua iniciativa que resultou na “Declaração à Nação”, assinada por Bolsonaro como um gesto em direção ao restabelecimento de relações respeitosas entre os Poderes.

Durante entrevista ao Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes, nesta segunda-feira (27), Temer afirmou que alguém com a intenção de criar intriga divulgou apenas o trecho do vídeo mostrando a imitação que se referia ao presidente.

Ele contou que o rapaz tem grande talento e imitou vozes de uma dezena de pessoas, inclusive dele próprio. “Com os olhos fechados, a impressão é que eu estava ouvindo minha própria voz”, disse ele.

Michel Temer negou a informação, divulgada em alguns veículos de comunicação, que atribuía o vídeo e a sua divulgação a alguém ligado a ele:

– “Não foi meu assessor que divulgou. Isso foi divulgado por alguém que pretendia uma incompatibilidade com o presidente Bolsonaro.”

O ex-presidente relatou ainda haver telefonado ao presidente Bolsonaro para dizer “que foi divulgado um videozinho como se fosse só a sua caricatura, imitação, mas na verdade mais nove personalidades foram imitadas”. Segundo Temer, Bolsonaro não se importou, dizendo-lhe para “esquentar a cabeça” com isso.

Protagonista da tentativa de pacificar o país com a Carta à Nação, assinada por Bolsonaro, Michel Temer viu o capital político aumentar, mas, segundo ele, isso não significa que esteja  o radar uma candidatura ao Planalto no ano que vem.

“Confesso a você que recebo solicitações e sugestões de que venha a me apresentar (candidato). Quando me dizem isso, tomo como reconhecimento ao meu governo. Posso dizer, com toda a modéstia de lado, que eu vou aos locais, supermercados, restaurantes e no geral sou cumprimentado, quando não até aplaudido. Não está no meu horizonte, eu não penso nisso”.

Ainda na entrevista, Temer disse que seria importante uma terceira via forte. No entanto, na visão do ex-presidente, o centro caminha para a diluição, fortalecendo a polarização entre Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro:

“Meses atrás eu achava que poderia haver uma única candidatura. Ou seja, os partidos se uniriam, lançariam pré-candidatos e ao final lançariam uma candidatura que fosse a mais viável”, disse ele.

No entanto, avalia, “confesso que a essa altura começo a perder um pouco a esperança nisso porque candidaturas que estão sendo lançadas dificilmente voltarão atrás. Então, a tal coluna do meio, a terceira a via, pode vir a ter 3 ou 4 candidaturas. Tendo 3 ou 4 candidaturas, atomiza o voto, espalha o voto. Espalhando o voto, a polarização continua presente e muito viva”.

O ex-presidente concedeu entrevista no Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes, aos jornalistas Thays Freitas, Sônia Blota, Pedro Campos e Cláudio Humberto.

Redação

Quero CompartilharShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn