20jul/120

Agnelo Queiroz chega a Xangai

 Após conhecer modelo de superação econômica de Cingapura, governador já cumpre agenda oficial na China, começando por visita técnica ao Parque Industrial Suzhou

 Brasília, 20 de julho de 2012 – O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, chegou na manhã desta sexta-feira a Xangai, na China, depois de concluir a segunda etapa da missão internacional de dois dias e meio em Cingapura. Agnelo Queiroz e comitiva permanecerão por quatro dias em Xangai. Ao desembarcar, a delegação seguiu para o Parque Industrial e Tecnológico de Suzhou, a meia hora de Xangai.

 Esta é a segunda vez que o governador visita território chinês – no ano passado ele assistiu à Universíade, espécie de Olimpíadas Universitárias. No último dia em Cingapura, governador e comitiva conheceram, na Agência de Águas, o sistema de abastecimento da cidade, que possui uma política avançada de racionalização. Cerca de 30% da água consumida em Cingapura é reaproveitada após passar por processos de purificação.

 Agnelo Queiroz participou ainda de duas reuniões com instituições que promovem o desenvolvimento econômico da região. Na empresa Singbridge, com experiência internacional em implantação de parques industriais, o governador conheceu o histórico da empresa na área de soluções urbanas e na montagem de distritos industriais na China, Indonésia, Índia, Bangladesh e Vietnã. A Singbridge investe, desenvolve e gerencia cidades integradas e soluções urbanas sustentáveis. É dela o projeto Sino-Singapura Guangzhou Knowledge City (SSGKC).

 O governador também esteve na Jurong Consultants, que tem projetos no mundo todo e é responsável pelo desenvolvimento do planejamento da reforma do Aeroporto Internacional de Confins, em Belo Horizonte, e pela idealização da “aerotrópolis”, em seu entorno.

 Para o governador, Cingapura é um exemplo de superação. A cidade-estado teve impressionante evolução industrial: em 1965, a renda per capita era de U$ 576 e saltou para aproximadamente U$ 50 mil, em 2011. O desemprego atingia 9% da população em 1965 e caiu para 2,1%, em 2011. Cingapura é uma ilha pequena – com extensão leste-oeste de 42km e norte-sul de 23km – e recursos naturais limitados, mas que se superou investindo nos recursos humanos. 

 A cidade-estado investiu nas adaptações necessárias ao seu desenvolvimento e na infraestrutura para atrair empresas de todo o mundo, dentro de um planejamento minucioso. E foi assim que saiu do contexto de terceiro mundo e alçou o cenário de primeiro mundo. Hoje, por exemplo, apesar de não ser produtora, é a terceira do mundo em refinamento de óleo.

 O governador apresentou às instituições o projeto do Parque Tecnológico Cidade Digital – o edital de licitação, da Terracap, para buscar a parceria privada para a gestão do empreendimento está em fase de consulta pública – para sugestões, alterações e aprimoramento. Somente depois dessa fase, o edital vai ser oficialmente lançado. A previsão é para ainda neste ano.

 “Estamos apresentando nossos projetos para disputar os investimentos que estão no mercado internacional. Fizemos contatos com empresas de grande experiência nesta área, responsáveis pelos casos de sucesso que vimos em Cingapura, como também em outras partes do mundo”, destacou o governador.

 Participaram das reuniões em Cingapura, o presidente da Terracap, Antônio Carlos Lins; o embaixador brasileiro Luis Fernando Serra; o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Abdon Henrique de Araújo, e os deputados distritais Patrício, presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, e Cristiano Araújo, entre outros.

 

fonte: Agência Brasilia