31maio/120

Fla não paga e Ronaldinho cai fora

O meia-atacante Ronaldinho rescindiu nesta quinta-feira, na Justiça do Trabalho, seu contrato com o Flamengo. A advogada do jogador Gislaine Nunes confirmou em entrevista ao Terra e disse que moveu a ação pelo atraso de salários. A reportagem tentou entrar em contato com o clube, mas até agora não obteve resposta.

 "Já resolvemos isso hoje (quinta-feira). Falta de pagamento foi o motivo. O atleta teve o contrato rescindido. Foram quatro meses de salário atrasado, o que por direito já valida a rescisão", explicou a advogada Gislaine Nunes, afirmando que Ronaldinho também pede indenização. O valor seria de R$ 40 milhões.

 A ação movida pelo atleta foi conseguida e confirmada na 9ª Vara do Trabalho da Justiça Trabalhista do Rio de Janeiro. No momento, a advogada está na CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para protocolar a rescisão de contrato. Por ser em primeira instância, o Flamengo pode recorrer da decisão.

 "Foi tudo hoje. Foi um pedido do Ronaldinho. Entramos com o pedido na parte da manhã e agora conseguimos a liminar. Ele não joga mais no Flamengo", confirmou Gislaine Nunes.

 A diretoria do Flamengo emitiu nota a respeito do tema pouco após a liminar ser obtida pelo jogador: "Sempre tratamos os assuntos relacionados ao Ronaldinho em alto nível e internamente. Não esperávamos uma atitude como essa. Agora, o caso está nas mãos de nosso departamento jurídico, que irá tomar todas as medidas legais para proteger os interesses do Flamengo. O clube é maior do que qualquer pessoa e vai ser assim para sempre", citou texto assinado pela presidente do clube, Patricia Amorim.

A crise de Ronaldinho com o Flamengo aumentou durante a semana. O jogador viajou a Porto Alegre para acompanhar uma cirurgia de retirada de tumor de sua mãe e faltou a três treinos da equipe. Ele também não apareceu no embarque para Teresina, onde o time disputa nesta quinta-feira um amistoso contra um combinado local.

 O vice-presidente de futebol Paulo César Coutinho foi filmado dizendo a torcedores na porta do hotel em que a equipe está concentrada na capital piauiense que o camisa 10 tinha sido afastado a pedidos da presidente Patrícia Amorim. Porém, o próprio dirigente e o diretor de futebol Zinho desmentiram a informação nesta quinta-feira.

 A falta de pagamento a Ronaldinho já tinha causado atritos na semana passada. O empresário e irmão Assis retirou cerca de 80 peças relacionados ao jogador de uma loja oficial do clube e queria sair do recinto sem pagar. O vice presidente de finanças Michel Levy teve que ser chamado para intervir e assumiu a conta.

 Ronaldinho atuou em duas partidas neste Campeonato Brasileiro e teve atuações apagadas contra Sport e Internacional. Como não atingiu sete jogos, o meia ainda pode assinar com outro clube que disputa o Campeonato Brasileiro. Com informações de Gazeta Esportiva e Terra