2jul/120

Miss DF: a mais bela é do Lago Sul


A beleza das mulheres do Distrito Federal bebe da fonte da multiplicidade cultural da população. Os perfis femininos conjugam traços e posturas de mulheres do Norte, Sul, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. Filha de uma cearense com um paraibano, Tamiris Rodrigues da Costa Aguiar, 21 anos, é exemplo vivo desta mistura. E foi assim que sagrou-se Miss DF 2012, no último fim de semana.

“Depois do Miss DF quero participar do Miss Brasil e levar a heterogeneidade do nosso povo. Tão cheia de encanto e de tanto charme”, disse a mais nova representante da beleza brasiliense, dona de um perfil tranquilo e católico. Tamiris não esconde que a conquista é um sonho antigo, dos tempos de menina, da mesma forma como milhares de garotas sonham com a coroa de miss. Nascida em 3 de janeiro de 1991, a jovem é vaidosa desde pequena. Sem exageros, ela conta que sempre buscou se vestir bem e estar adequada em todos os lugares.

Há três anos, Tamiris começou a trilhar o caminho da vida de modelo. A jovem já havia participado de um concurso de beleza antes do Miss DF. E a experiência contou. Seja para desenvolver mecanismos para conter o nervosismo, seja para saber como se portar diante das pessoas. Um dos desafios na busca pela coroa do DF foi
justamente a diferença de andar na passarela entre uma miss e uma modelo.

Enquanto os passos de uma modelo devem promover vestimentas, joias e demais adornos, o caminhar pela passarela de uma miss deve ter outra tônica. A miss deve caminhar para se apresentar, para mostrar a própria beleza. Um detalhe que faz toda diferença. “Na hora dos ensaios, teve uma coisa engraçada. Devia ser a ansiedade. Mas tínhamos que treinar o que iríamos falar. E eu falava muito rápido. Rápido demais. Tive que aprender a falar pausadamente”, completou

Tudo na medida certa

As medidas da Miss DF beiram a perfeição estética. Tamiris possui 1,75 metro de altura, 89 centímetros de quadril, 60 cm de cintura e 89 cm de busto. Segundo a jovem, uma miss deve aliar a beleza com charme, simpatia e elegância. Mas, mesmo com tantos adjetivos acima da média popular, Tamiris pontua que uma miss não é uma pessoa acima das outras, intocável. “É uma pessoa normal, que trabalha e estuda”, diz ela.

E se alguém pensa que Tamiris está satisfeita com o corpo, se engana. A Miss DF contou que se achava muito magra antes do concurso e, por isso, passou a malhar para ganhar mais vigor nos traços. E mesmo assim, ainda não está satisfeita com as próprias pernas. Acredite se quiser, mas ela considera que as pernas podem “melhorar”.

Para competir no Miss Brasil, Tamiris planeja malhar ainda mais para aprimorar as curvas. Na busca por um corpo mais belo, ela garante que não recorreu ao bisturi de uma cirurgia plástica, seja para retirar imperfeições, seja para acrescentar traços mais vistosos.

No entanto, a jovem não descarta a possibilidade de buscar o caminho cirúrgico para ficar mais bela. Mas é categórica: “Por enquanto, isso não está nos meus planos”. Por isso, Tamiris considera válido o caminho do bisturi para as mulheres que não estão satisfeitas com o próprio corpo. No caso das mulheres que não se consideram bonitas, a jovem tem um conselho. “Elas devem se olhar mais de perto. Toda mulher possui uma beleza. Toda mulher é bonita de uma forma única”, declarou. Para a Miss DF, todas as brasilienses precisam estar bem com a autoestima.

Para as pequenas cidadãs que sonham com o título de representante do DF, Tamiris aconselha que busquem seu objetivo, trilhando com cuidado e firmeza cada etapa. Pela experiência nas passarelas e nos concursos de beleza, ela aconselha suas eventuais sucessoras a acreditarem no sonho e no potencial de cada uma.

Sobre o DF, Tamiris enxerga a capital como um polo de desenvolvimento em franca expansão. Um crescimento que começa a gerar mais oportunidades para a população. A Miss DF espera continuar a seguir pela vida de modelo. Mas no futuro ela não descarta outro ofício: a carreira como tradutora. Informações do Jornal de Brasília.