3out/120

Serra e Haddad praticam tiro ao alvo Russomano

Ataques vêm dos dois lados: enquanto o petista mira discurso na falta de propostas do candidato do PRB e desafia Celso Russomano para um debate cara a cara, o tucano começa a distribuir, nesta quarta-feira, 50 mil panfletos por dia contra o adversário; material aponta irregularidades sobre o líder nas pesquisas, como a denúncia de que ele pagou uma funcionária particular com verba pública.

Se no início da disputa pela Prefeitura de São Paulo as críticas mais intensas – seja na propaganda eleitoral ou nos debates – mantinham apenas dois candidatos nos holofotes, hoje o cenário é outro. Líder nas pesquisas, Celso Russomano deixa de ser escanteado e passa a ser alvo de ataques constantes de seus principais adversários, Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB). A partir desta quarta-feira, a campanha do tucano começa a distribuir 50 mil folhetos por dia, pelo correio, com ataques pesados ao candidato do PRB.

No material, reportagens acusam a equipe de Russomano de utilizar a estrutura da Igreja Universal e destacam a denúncia de que o político pagou uma funcionária particular com verba pública quando exercia o cargo de deputado federal. Para que o candidato do PRB não peça à Justiça o recolhimento do material, a campanha do tucano pediu conselhos à equipe jurídica e decidiu reproduzir dados negativos de Russomano como forma de "esclarecimento" aos eleitores. A estratégia é divulgar os folhetos em bairros do centro expandido da capital, onde Serra perdeu votos para o adversário. Caso fosse feito na periferia, o plano poderia resultar numa migração para Fernando Haddad.

Já o petista, que antes se preocupava em alertar o eleitor a não votar num candidato que poderia abandonar a Prefeitura no meio do mandato – numa crítica à Serra, que deixou o cargo em 2006 –, se usa de estratégia menos agressiva. Há dias Haddad vem fazendo duros ataques à tarifa proporcional de ônibus, proposta por Russomano. Segundo o ex-ministro, a ideia prejudica os mais pobres, que moram mais longe.

Além disso, o candidato do PT se concentra no fato de que o adversário não tem experiência para governar e nem apresentou um plano consistente para a capital. Sobre os fatos, Russomano finalmente deixou a pose serena e gravou um programa político chamando Haddad de mentiroso, com direito a tapas na mesa.

Fonte: Brasil 247/ Poder