13jul/120

Wilder de Morais toma posse no Senado

Wilder Pedro de Morais (E) terá mais de seus anos e meio de mandato no lugar de Demóstenes Torres

O primeiro suplente do senador cassado Demóstenes Torres tomou posse na manhã desta sexta-feira (13) no Plenário do Senado, assim que a sessão foi aberta. Wilder Pedro de Morais (DEM-GO) assinou o termo de posse e fez o juramento.  Os senadores não esperavam que Wilder tomasse posse nesta sexta-feira, já que ele havia anunciado que estava de férias com a família.
 
O novo senador ligou cedo para os integrantes da Mesa e o 4º secretário, senador Ciro Nogueira (PP-PI), onduziu a rápida cerimônia de posse.  Os senadores Roberto Requião (PMDB-PR), Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) e Ana Amélia (PP-RS) assistiram ao juramento. Encerrada a cerimônia de posse, o novo senador retirou-se do Plenário.

Com a cassação de Demóstenes Torres, Wilder terá mais seis anos e meio de mandato. O nome parlamentar adotado pelo novo senador será Wilder Morais.
 
Patrimônio
 
Wilder Morais (DEM), suplente do senador cassado Demóstenes Torres (GO), usou de novo as redes sociais para explicar o áudio gravado pela Polícia Federal que mostra suposto elo com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. "Ao contrário do que vem sendo divulgado, o meu real propósito não foi mostrar gratidão, mas pôr fim a uma conversa bem constrangedora", publicou o atual secretário de Infraestrutura de Goiás, na noite desta quinta-feira (12).
 
Em escutas publicadas no jornal "Folha de S.Paulo" de quinta-feira, obtidas durante as investigações da Operação Monte Carlo, que levaram Cachoeira à prisão, ele afirma que foi responsável pela ascenção política de Wilder Morais. "Fui eu que te pus na suplência, essa secretaria, fui eu. Você sabe muito bem disso", diz o contraventor.
 
Wilder responde: "Carlinhos, deixa eu te falar um negócio procê. Pensa um cara que nunca teria, enfim, encontrado um governo, que nunca teria sido b.... nenhuma, cara. Você tá falando com esse cara".
 
Horas após a divulgação da escuta no Jornal Nacional, o suplente publicou em perfis no Twitter e no Facebook, que o áudio é fragmento de uma conversa onde os dois discutiam questões de foro íntimo que resultaram no fim de seu casamento. Wilder era casado com Andressa Mendonça, atual mulher de Carlinhos Cachoeira.
 
Sem negar a suposta indicação do contraventor aos cargos políticos, o mais novo senador de Goiás afirma: "Se a íntegra da conversa fosse divulgada, a interpretação dos fatos certamente seria outra." (G1)