4ago/220

Em convenção, Reguffe deixa para esta 6ª decisão sobre candidatura ao GDF

Senador e o União Brasil passaram o dia com discursos distintos em relação à candidatura ao Palácio do Buriti

José Antônio Reguffe lança candidatura ao GDFGustavo Moreno/Metrópoles

Após diversas idas e vindas com relação à candidatura ao GDF, o senador José Antônio Reguffe compareceu à convenção regional do União Brasil, na noite desta quinta-feira (4/8) e, mesmo com clima de festa, não confirmou se disputará o pleito em outubro deste ano. Aos correligionários, ele quer “conversar amanhã [sexta-feira] com calma, com outros partidos para tomar a decisão final.”

Quando a gente assume compromisso na vida, é para sempre. Só vale a pena fazendo o certo, fazendo o que a população precisa e merece”, disse Reguffe, frustrando apoiadores que já davam como certo sua candidatura.

Idas e vindas

Horas antes de adiar mais uma vez a decisão sobre a discuta pela cadeira no Palácio do Buriti, Reguffe rebateu o próprio partido – que no meio da tarde havia confirmado o nome do senador na disputa ao GDF – e disse que só entraria na corrida eleitoral se tivesse controle total sobre sua candidatura. “Sem autonomia total, não vou. A qualquer preço, não serei candidato”, disse ele.

No mesmo dia, Reguffe deu outra demonstração de que não estava satisfeito com a legenda. Em vídeo publicado nas redes sociais, disse que o União Brasil dificultava a candidatura dele ao cargo majoritário. “Eu entrei na política por um ideal. Me foi oferecido também ser candidato a deputado. Acho que eu seria muito bem votado, mas não serei [candidato]. Neste momento, serei candidato a governador ou a nada. E, pelo visto, a nada”, afirmou o congressista na ocasião. Metrópoles

4ago/220

Reviravolta: Após vídeo, União Brasil lança candidatura de Reguffe ao GDF

Partido no DF publicou anúncio de senador como pré-candidato ao Buriti e, em seguida, excluiu postagem. Mais cedo, Reguffe compartilhou vídeo denunciando falta de apoio da sigla

 (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

União Brasil do Distrito Federal anunciou a candidatura do senador José Antônio Reguffe (UB) ao Governo do DF. Em nota divulgada pelas redes sociais, o partido destaca que se mantém leal a "todos os compromissos firmados" com o senador, que se filiou à sigla em março. A confirmação será feita mais tarde nesta quinta-feira (4/8), na convenção regional do União Brasil.

Manoel Arruda, presidente do partido no DF, assina a nota. "Precisamos de um líder forte, corajoso, transparente e decidido, para que nós do União Brasil e os brasilienses possamos confiar para cuidar do povo do Distrito Federal", elogiou, no texto.

Na manhã desta quinta (4/8), Reguffe compartilhou um vídeo nas redes sociais denunciando a falta de apoio do próprio partido para seguir na corrida ao Palácio do Buriti. Na postagem, ele afirmou que o União Brasil não quer sua candidatura e chegou a dar um ultimato, com ares de previsão: “Serei candidato a governador ou a nada. Pelo visto, a nada.”

Correio web

4ago/220

União Brasil-DF deve negar legenda para Reguffe, que ficará fora das eleições 2022

Reguffe diz que se não for candidato ao GDF sairá da política temporariamente

Na quarta-feira (3), o União Brasil-DF, por meio do presidente Manoel Arruda, declarou apoio à reeleição de Jair Bolsonaro (PL), decisão tomada após Luciano Bivar desistir de concorrer à presidência e a regional do partido aqui no DF não aceitar o nome da senadora Soraya Thronicke, que é a nova aposta do partido para concorrer a presidência.

A novidade pode alterar as rotas na disputa ao governo do DF, caracterizando um sinal do União para apoiar a reeleição de Ibaneis Rocha (MDB), que é quem dará palanque para Bolsonaro no DF.

Até o momento o senador Reguffe era cotado para disputar o Palácio do Buriti. Uma fonte ligada ao União Brasil informou que existem vários motivos para o partido não garantir a legenda para Reguffe. Entre eles a demora em definir qual cargo disputaria e falta de definição da chapa majoritária.

Membros do partido querem participar das negociações que irão definir os rumos do partido nas eleições de 2022, mas Reguffe quer ter autonomia para definir a escolha de seu cargo, da formação da chapa majoritária, dentre outras negociações.

Reguffe também gostaria de ficar neutro em relação ao palanque nacional, fora da polarização Lula x Bolsonaro.

A convenção do União Brasil-DF ocorrerá nesta quinta-feira (4). O senador divulgou um vídeo, em suas redes sociais, em que ele diz que “eu serei candidato a governador ou a nada. Se eu tiver que sair da política, eu saio e dou um até breve de quatro anos, com muita dor, mas não serei candidato a outro cargo”.

Conectado ao poder

4ago/220

Reguffe parte pra cima e quer disputar GDF

A briga pela cadeira de governador do DF terá mais um capítulo nessa quinta-feira (4). O senador Reguffe declarou que não vai desistir da briga contra Ibaneis e acredita que será um erro da legenda seguir caminho diferente.

A possivel ida do União Brasil para o colo de Ibaneis Rocha nao agradou Reguffe que deseja disputar com o atual governador o comando do DF.

Segundo uma fonte o Senador Reguffe devera fazer um discurso duro e na direção do ocupante do Palácio do buriti.

redação

 

4ago/220

Câmara aprova fim dos “saidões” mas a petista Erika Kokay votou contra

Nesta quarta-feira (3) a Câmara aprovou o fim da saída temporária dos presidiários. Foram contabilizados 311 votos favoráveis e 98 contrários. O projeto segue agora para o Senado, que vai analisar as alterações dos deputados.

Mas para espanto do eleitor e cidadão brasiliense, a deputada Erika Kokay (PT-DF) simplesmente votou contra o projeto.  A parlamentar parece viver numa bolha, pois são muitos os registros de presos que voltaram a praticar crimes durante os conhecidos “saidões”.

Para se ter uma ideia do cinismo e omissão da esquerda diante do tema,  dois detentos liberados durante um  “saidão” em 3 de junho  de 2021  foram presos pela Polícia Militar (PMDF) após assassinarem um homem,  um dia depois de soltos,   na Quadra 32 do Paranoá. A dupla usava uniformes de garis durante o crime e, depois, roubou um Renault Duster branco para fugir. Foi mais um caso que revoltou o DF.

Mas você não viu parlamentar esquerdista chorando a morte do motorista covardemente assassinado por dois vagabundos que aproveitaram o saidão para cometer crimes…

Ao votar contra o projeto que acaba com os “saidões” , a deputada do PT mostra que está mais preocupada com os presos do que com a população.

É por isso que é necessário renovar o Congresso Nacional. Os velhos discursos da esquerda não condizem com as novas realidades.

Donny Silva