13jun/120

Acusado de estupro, padre também é condenado por porte de arma no DF

Ele foi preso no final do ano passado suspeito de abusar de seis crianças. Pena de um ano deve ser cumprida em regime aberto, diz TJ; cabe recurso.

 Do G1 DF
Segundo diretor da Polícia Civil, Onofre de Moraes, arma calibre 36 era usada como forma de ameaça (Foto: Felipe Néri / G1)
Então diretor-geral da Polícia Civil, Onofre Moraes
apresentou em dezembro a espingarda apreendida
na casa do padre (Foto: Felipe Néri / G1)
 

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal condenou um padre que já responde por estupro de vulnerável a um ano de detenção, em regime aberto, por porte ilegal de armas. Segundo o órgão, no dia 30 de dezembro de 2011, policiais civis que cumpriam um mandado de busca e apreensão encontraram uma espingarda e 24 cartuchos de munição na casa dele. Cabe recurso à decisão.

Em depoimento à polícia, o homem afirmou que a arma pertencia a um pedreiro que construiu a residência. Ele disse que guardou a espingarda por mais de um ano esperando que o dono fosse buscá-la. Em juízo, de acordo com o TJ, ele mudou a versão, alegando não saber que o equipamento estava na casa dele.

Os policiais que fizeram a apreensão informaram que o material foi encontrado em um quarto que parecia uma despensa, que também tinha diversos computadores e itens de escritório. Durante o flagrante, o padre estaria acompanhado de uma mulher que dizia ter relacionamento amoroso com ele.

Na sentença, a juíza afirmou que a apreensão da arma e das munições é "fato incontroverso". Por ele ter confessado a existência da arma em casa, ela diminuiu em três meses a pena dele e determinou que ele preste serviços à comunidade.

Abuso sexual

O padre foi preso no final do ano passado suspeito de estuprar seis crianças. Ele trabalhava havia dez anos em uma igreja e frequentava a casa das crianças. De acordo com os menores – cinco meninas e um menino –, os abusos eram cometidos havia um ano. O caso corre em segredo de Justiça.

No momento da prisão, o homem estava na cama com uma mulher nua – a secretária de outra igreja. Na casa foi encontrada uma arma e munições. O padre negou a acusação de estupro. Ele afirmou que a arma era de outra pessoa, mas não explicou as razões de ela estar na sua casa.