19ago/130

Brasil: Professores fazem ‘enterro’ de Cabral na praia

  Roberta Pennafort / Rio  

Enfrentando chuva evento, cerca de 6oo professores em greve, das redes estadual e municipal do Rio, fizeram passeata de três horas na manhã ontem, na Praia de Copacabana. Ao fim do ato, que transcorreu sem transtornos, com a Polícia Militar apenas observando, os professores fizeram o enterro simbólico na areia da praia do governador Sérgio Cabral (PMDB), representado numa foto sobre um caixão de papelão com um bigode como o de Adolf Hitler.  

A mobilização começou às 11h, no Leme, e a caminhada foi até o Forte de Copacabana, um trajeto de quatro quilômetros. A categoria, que no protesto de ontem recebeu apoio de estudantes e de moradores que acompanhavam o ato das janelas dos prédios, está em greve desde o dia 8 por reajuste salarial de 19%, plano de carreira, melhoria nas condições das escolas, entre outras demandas. As reivindicações da rede estadual serão discutidas hoje com o secretário de Educação, Wilson Risolia.  

Os professores do município querem encontro com a secretária Cláudia Costin, mas têm sido recebidos por outros representantes da prefeitura. Ontem, durante o protesto, cantaram: "Costin, o que é que há? Sai do Twitter e vem negociar!""
Eles questionaram o destino das verbas para o setor e o sucateamento das escolas......  Na última segunda-feira, após uma reunião com o vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), um grupo de professores tentou permanecer no Palácio Guanabara durante um "protesto desencadeando mais um confronto violento entre manifestantes e a PM.  

Assembléias estão marcadas para terça, para a rede do município, e quarta, para a do Estado. Até lá, a greve segue. O prefeito Eduardo Paes já afirmou que irá cortar o ponto dos grevistas. "Estou na rede desde 1988 e nunca vi ameaça assim", criticou o sindicalista Cláudio Monteiro. Na capital, a paralisação tem adesão de 80% dos professores, segundo es grevistas. 

 

Estadão