11jul/120

Bruno e Macarrão tinham um caso gay

 Foto: Divulgação

É o que diz  Rui Pimenta, advogado do goleiro; Bruno escreveu uma carta ao amigo pedindo para assumir o assassinato de Eliza Samudio

Preso há dois anos, na  Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG), o goleiro Bruno escreveu uma carta a seu amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, pedindo para ele assumir a morte da modelo Eliza Samudio, desaparecida em junho de 2010.

O pedido que Bruno faz a Macarrão faz parte do plano B do goleiro, que escreveu, que após conversar com os advogados, todos acharam melhor Macarrão assumir a culpa, para que Bruno saia da prisão. Isso, porque o plano A, que era de negar o crime, naufragou.

No entanto, o  conteúdo da carta, publicado pela Revista Veja desta semana, sugere, segundo o advogado do goleiro, Rui Pimenta, que Bruno e Macarrão tinham um relacionamento homossexual.  “Naturalmente, pela masculinidade dele, um gladiador, eu entendo que o relacionamento entre eles existia. Eu levo a carta para esse lado, ele queria terminar essa relação”, declarou Rui Pimenta ao Grupo Estado.

Outro fator que faz Rui Pimenta acreditar que  havia um relacionamento entre Bruno e Macarrão é o texto escrito Eliza Samudio, anexado ao processo, em que ela afirma que tinha um vídeo de uma suporta orgia entre ela, Macarrão e Bruno, material que acabaria com a reputação do goleiro.

Rui Pimenta irá se encontrar com Bruno em breve para saber se ele, de fato, escreveu a carta. “Admitir ter escrito a carta não é problema. O que me causa estranheza é ela ter sido interceptada por um agente penitenciário, como diz a revista, e ter ido parar nas mãos de jornalistas em vez de ser encaminhada à Justiça”, disse Pimenta, que completou: “Eu respiro nesta carta um relacionamento bem íntimo entre os dois, e a revista errou ao dar interpretação diversa. Existe o escopo de tentar novamente denegrir a imagem do Bruno”, acrescentou.

Com informações do jornal O Estado de S. Paulo