10jun/120

CLDF: Frente Parlamentar debaterá violência contra idosos

A Frente Parlamentar de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara Legislativa do Distrito Federal realiza na próxima terça-feira (12), de 8h30 às 12h, no auditório da Casa, o seminário Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa.

O seminário marca o Dia Mundial de Combate à Violência contra a Pessoa Idosa, comemorado no dia 15 de junho. O presidente da Frente Parlamentar, o deputado Joe Valle (PSB), disse que o objetivo do evento é conscientizar a sociedade sobre os direitos dos idosos e debater ações de combate à violência contra a pessoa idosa.

O evento é aberto ao público. Entre os convidados para participar do debate estão: a coordenadora da Frente Parlamentar Mista de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados, a deputada Flávia Morais (PDT/GO); o secretário especial do idoso do Distrito Federal, Ricardo Quirino; a presidenta do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, Dra. Karla Giacomin; a presidenta do Conselho do Idoso do Distrito Federal, Dra. Paula Regina de Oliveira Ribeiro; a promotora de justiça do MPDFT, Dra. Sandra Julião e a pesquisadora em gerontologia, Dra. Denise Orbage.

No DF, de acordo com dados do IBGE/2009, a Asa Norte tem a maior concentração de idosos, com 14.784. Em seguida, estão o Gama, com 12.562 idosos; o Guará, com 12.350; e Planaltina com 10.050. O Setor de Indústrias e Abastecimento e o Varjão são as cidades com menor concentração de idosos no DF, contabilizando 240 e 306 idosos respectivamente..

Dados da Central Judicial do Idoso (CJI) revelam que são vários os tipos de violência registrado contra a pessoa idosa, com ênfase para o abuso financeiro, psicológico e para a negligência. Além disso, há um significativo índice de violência institucional, principalmente nas áreas da saúde, transporte, assistência social e habitação.

Quanto a distribuição percentual do tipo de violência praticado contra os idosos, informações do CJI revelam que 33,12% das denúncias referem-se à violência psicológica, 25,49% à negligência, 17,97% à violência financeira e 15,58% à violência física. Mais de 65% das agressões são cometidas pelos filhos, 8,7% por parentes e 3,76% são vizinhos.

Para Joe Valle, é urgente a necessidade do cumprimento da legislação, que estrutura a rede de proteção e defesa dos direitos do idoso. "Também é imprescindível a conscientização da população em relação ao processo de envelhecimento, que levam ao abuso e a violência", afirma o deputado.

 

fonte: Netopaty