Presidente da Caixa de Beneficente da Polícia Militar (CABE), nesta quinta-feira (17) a Coronel Maria costa divulgou Nota de Repúdio contra o deputado federal Luis Miranda, por ele  se colocar como representante da classe e por atacá-la em vídeo.

Luis Miranda é o convidado do militar deputado distrital Joao Hermeto para ser entrevistado no programa Pinga Fogo, na Rádio Atividade no próximo sábado.

Confira a Nota de Repúdio contra Luis Miranda:

Assisti um vídeo de um parlamentar que provoca ânsia na gente só de ouvir o nome dele. Mas pior que ouvir o nome, é ouvir a tentativa de querer dizer que o policial militar acredita que esse parlamentar tenha uma boa imagem em nossa corporação e seja o seu representante oficial.

Prezado Sr Luis Miranda, eu reafirmo que seu discurso cheio de intenções questionáveis não tem receptividade pelos policiais militares.

Suas atitudes, comportamento e omissões com a PMDF, e seus integrantes, e em seu próprio mandato parlamentar já são suficientes para demonstrar quem é o “representante” Luis Miranda.

Os policiais que defendem sua família e todo Distrito Federal não caem e nem cairão nessa narrativa, que só vende expectativas e sonhos. Um verdadeiro pesadelo e fiasco para quem realmente o conhece.

Fiquei muito feliz em saber que o Sr ouviu denuncias de corrupção na CABE. Saiba que por causa delas eu fui eleita há 6 anos. E estou à frente justamente saneando e limpando o que pessoas oportunistas costumam fazer: se aproveitar dos outros e transformar sonhos em pesadelos.

Aprenda Sr deputado a receber críticas sobre a sua atuação. Ou melhor a não atuação em prol dos policiais militares. E não pense que ameaças irão me fazer parar de expor minha opinião e fatos sobre “seu grande amor pela polícia”.

Conhecemos muito bem o perfil oportunista dos que se intitulam representantes da PMDF e seus integrantes. E o governador o ter escolhido para discursar na solenidade do dia 15 de março, para nós policiais militares, não quer dizer nada! Muito menos quando o convite veio daqueles que passaram a campanha inteira falando maravilhas para a PM e por outro lado, em seus mandatos, fazendo de tudo para nos negligenciar.

O Sr também não tem conhecimento do que é o dia-a-dia de um policial militar, principalmente as mulheres policiais, as mazelas e como a profissão suga a vida, a saúde e a sanidade. E mantenho minha opinião que o Sr é um forasteiro, pois comendas de reconhecimento não certificam a pessoa como um especialista no assunto. Também não posso reconhecer sua qualificação como nosso representante, pois desconhecemos sua formação técnica e experiência prática em segurança pública.

O Sr também não vivencia o que uma mulher enfrenta na sociedade, no mercado de trabalho, na violência doméstica, nos assédios psicológicos e na construção de uma carreira de soldado a coronel na polícia militar.

Aprofunde-se antes de falar da PM e, principalmente, da CABE, pois, quando assumi a gestão da entidade, convidei o MPDFT para ter acesso a todos os procedimentos e documentos internos, promovi representações criminais e responsabilizamos ex-gestores. A CABE é uma entidade transparente e de contas abertas. Nós não vamos aceitar esse jogo da sua parte e que revelou ao Brasil o lado oportunista, duvidoso e que uma boa pesquisa de opinião pode revelar centenas de outros adjetivos ruins que combinariam com você.

Saiba que enfrentei ameaças e pessoas arrogantes e duvidosas desde o meu primeiro dia de ronda nas ruas. Sou mulher nordestina, negra e mãe, então esse tipo de truculência não me intimidam. Minha vida pregressa também não deixa dúvidas sobre meu caráter, conduta ilibada e compromisso com a Polícia Militar, o papel da mulher e a segurança pública. Se o Sr quer me “enquadrar”, então vamos debater suas realizações para a Polícia Militar do DF. Venha provar que estamos errados ou nos enganamos sobre sua atuação por aqueles que você diz amar e respeitar.

Cel Maria Costa

Donnysilva