2jun/120

Craque dentro de campo, Neymar vira fenômeno publicitário

 

Por Waldheim García Montoya - São Paulo, 1 jun (EFE).- Maior estrela em atividade no futebol brasileiro, visto como herdeiro de Pelé no Santos e pretendido por vários clubes europeus, Neymar se transformou em um fenômeno no país, onde sua imagem está associada a diversos produtos.

Seja em bancos, meias, passando por móveis, cuecas, produtos de higiene pessoal e automóveis, o jovem atacante entra todos os dias em milhões de lares, graças aos anúncios que protagoniza nos meios de comunicação, que fizeram com que sua figura, conhecida pelo cabelo no estilo moicano, seja tão popular quanto seus gols e dribles.

“Neymar é um fenômeno de marketing que está próximo de se transformar na principal figura do futebol nos próximos anos, podendo ser comparado até a Pelé. Pela idade e trajetória, pode superar Ronaldo e igualar Pelé, apesar de eles terem jogado em épocas diferentes”, disse à agência Efe o sócio e diretor da Pluri Consultoria, empresa dedicada a estudar o mercado esportivo, Fábio Pinto Ferreira.

A presença do atleta é tão única que, na opinião de alguns especialistas do setor, ofusca estrelas que reinaram na publicidade brasileira, como Pelé e Ronaldo ou até mesmo a modelo Gisele Bündchen.

De acordo com a revista “France Football”, Neymar está entre os jogadores mais bem pagos do mundo, com renda anual de mais de R$ 34 milhões, a maior parte oriunda de contratos publicitários e de patrocinadores.

Para custear o salário do jogador de 20 anos e evitar sua ida para o futebol europeu, o Santos se associou até a Copa de 2014 com um grupo de patrocinadores. Nike, Volkswagen, Panasonic, Red Bull, Tenys Pé Baruel, Lupo, AmBev, Claro, Unilever e banco Santander são algumas das marcas associadas ao atacante.

A popularidade é tanta que em 2011 Neymar apareceu na série de televisão “Malhação”, da “TV Globo”, esteve no clip da música “Eu quero tchu, eu quero tcha”, da dupla sertaneja João Lucas & Marcelo, e fez muitas adolescentes tatuarem seu nome pelo corpo.

Devido aos compromissos publicitários, que incluem gravações e participações em eventos, o atleta teve que recorrer várias vezes a helicópteros para fazer seus deslocamentos e poder chegar a tempo aos treinos e jogos.

Um recente estudo da Pluri, que levou em conta não apenas o preço que o jogador custou ao clube e o valor da cláusula de rescisão, mas 15 critérios específicos, como idade, criatividade, regularidade, força física, títulos conquistados e capacidade de retorno financeiro, afirmou que Neymar está avaliado em R$ 137,5 milhões.

Especialistas em marketing consideram que a exposição midiática do atacante está perto do teto e que seu próximo passo deveria ser ir para um clube europeu para ser um ídolo de repercussão mundial em clubes como Real Madrid, Barcelona ou Chelsea, que já demonstraram interesse em sua contratação.

“Neymar tem potencial para chegar e ser ídolo na Europa, pois vive um grande momento, e do ponto de vista publicitário tem carisma para conquistar o “Velho Continente” com um status de estrela”, declarou à Efe o diretor da agência Brunoro Sport Business, Eduardo Rezende.

“O desafio para Neymar agora é a Copa de 2014, em que será a referência do Brasil, e conquistar a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres”, acrescentou.

Apesar dos milhões que sua imagem gera em publicidade, o técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, considera que o jovem jogador está exposto demais, pois, como atleta, precisa executar bem três tarefas para render o que se espera dele nos gramados: “treinar, se alimentar e repousar”. EFE

 

fonte: Palanque Capital