Comprar um carro elétrico pode ficar mais fácil para os brasileiros. Pelo menos é o que pretende o deputado distrital Rodrigo Delmasso (PTN-DF) ao apresentar a proposta de isenção do ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços – na aquisição de automóveis com um motor movido a eletricidade. O pedido foi protocolado ao CONFAZ (Conselho Nacional de Política Fazendária), nesta terça-feira (03/11).

Delmasso defende que “incentivar a aquisição de carros elétricos pelos consumidores brasileiros, trará benefícios diretos ao meio ambiente, consequentemente, melhora da qualidade de vida”, principalmente com a alta dos preços dos combustíveis e por conta dos efeitos cada vez mais agressivos do aquecimento global, principalmente pela emissão de poluentes dos carros à combustão, que liberam gás carbônico na atmosfera,

Apesar de muito comum no exterior, o carro elétrico no Brasil ainda não é popular. A dificuldade está justamente no preço. Hoje o brasileiro enfrenta uma carga tributária pesada e opta por adiar o sonho de adquirir um carro elétrico. Como medida para baratear a importação, a Câmara de Comércio Exterior isentou os carros elétricos da incidência de 35% do imposto de importação. No entanto, o parlamentar argumenta que a iniciativa não beneficia a indústria brasileira. “Esta medida é louvável, mas enfraquece a indústria nacional e fortalece a importação podendo gerar um desequilíbrio na balança comercial”, avalia. Hoje, o ICMS representa 12% no valor da compra, os outros dois tributos estão relacionados ao IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), com 25% e o PIS/COFINS (Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público/ Contribuição para Financiamento da Seguridade Social), com 9,25%.