2set/130

DF recebe profissionais do programa “Mais Médicos”

Foram selecionados 15 médicos para atuar em sete unidades  

ATENDIMENTO

 Da Redação, com informações da Secretaria de Saúde  

 Os 15 médicos brasileiros selecionados no programa "Mais Médicos” para trabalhar no Distrito Federal – que atuarão na atenção básica em equipes da Estratégia de Saúde da Família, em sete regionais – serão acolhidos hoje e amanhã (3) pela Secretaria de Saúde. 

“Nossa expectativa era receber 97 profissionais. Nessa primeira etapa serão 15 e que são muito bem-vindos. Acredito que outros virão na segunda fase, pois Brasília é um mercado que tende a atrair esses profissionais”, ressaltou o secretário de Saúde, Rafael Barbosa. 

As unidades básicas do Gama vão receber quatro médicos; as de Ceilândia, três. Recanto das Emas, Santa Maria, Brazlândia, Riacho Fundo e Samambaia ficam com um médico cada.

Durante os dois dias de acolhimento, os médicos recebem informações sobre a Secretaria de Saúde, organograma, funcionamento e também sobre a "Política Nacional de Atenção Básica" e da linha de cuidados dos ciclos de vida – criança, mulher, adulto e idoso....

Amanhã e quinta-feira (5), os profissionais vão conhecer as regionais de saúde onde serão lotados e, na segunda-feira (9), começam o atendimento nas unidades básicas de saúde.

Todos os médicos do grupo residem em Brasília e apenas um deles, que é brasiliense, se formou em outro estado.

“O programa "Mais Médicos" me pareceu uma boa oportunidade de trabalho, principalmente porque eu gosto muito da atenção básica”, destacou o médico Pedro Henrique Almeida, formado este ano em uma universidade de Rondônia.

“Eu já atuava na atenção primária em Águas Lindas de Goiás e queria permanecer nesse tipo de serviço, por isso me inscrevi no programa”, disse Marcela Fukushima.

PRIMEIRA ETAPA - Lançado em julho deste ano, o programa "Mais Médicos" levará profissionais para 516 municípios em todo o país nesta primeira etapa.

Os médicos do programa atuarão, por três anos, nas unidades básicas de saúde, recebendo bolsa mensal de R$10 mil, custeada pelo Ministério da Saúde.

Brasília receberá, por cada médico, R$4 mil do governo federal para arcar com despesas como moradia, alimentação e previdência social