17mar/220

Eleições: Pressão em vigilantes por votos não vai funcionar em 2022

Categoria dos vigilantes começa a dar sinais que não aceitará a velha mentira de que se não eleger "esse ou aquele" para distrital perderão seus empregos

A cada processo político a categoria dos vigilantes se torna um alvo importante para alguns personagens da política do DF. Vale lembrar que os contratos de vigilância estão em vigor e não será a eleição de nenhum futuro candidato que mudará o cenário de possíveis revogações por parte do poder público.

Rede para denunciar

Nas redes sociais já se ver uma movimentação de membros da categoria no sentido de criar uma rede para possíveis denúncias de pressões feitas a categoria dos trabalhadores no período eleitoral.

Certamente o sindicato dos vigilantes estará atento a possíveis pressões a seus associados no ano eleitoral, embora os vigilantes já demonstrem conhecimento do que pode vir pela frente;" Nós sabemos que todo ano eleitoral a pressão em cima de nós acontece, sempre com a velha mentira de que se não elegermos "fulano ou cicrano" para distrital  corremos o risco de perdermos o emprego. Nessa conversa a nossa categoria não vai cair mais. Esse ano o grito de liberdade será dado", declarou um vigilante que pediu anonimato.

Redação