30jul/120

Especialistas discutem desafios da preservação de Brasília

Governador Agnelo Queiroz destacou na abertura do encontro que governo e sociedade devem se empenhar juntos na missão de preservar o conjunto urbanístico da capital federal

Brasília, 30 de julho de 2012 – O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, acompanhado do vice-governador, Tadeu Filippelli, participou nesta segunda-feira da abertura do seminário internacional “A Proteção do Plano Piloto de Brasília no contexto metropolitano”, no hotel Naoum Plaza.

O evento reúne, durante todo o dia, autoridades e especialistas de órgãos e entidades locais, nacionais e internacionais em torno do debate sobre os desafios da preservação de Brasília. Organizado pela Casa Civil do DF em parceria com a Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano e com apoio da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), o seminário permitirá a troca de experiências e a discussão a respeito da proteção da capital de forma integrada.

O encontro demonstra o empenho da atual gestão em preservar o tombamento do Plano Piloto de Brasília, que em 2012 comemora 25 anos de Patrimônio Cultural da Humanidade, reconhecimento concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). “A questão do patrimônio nem sempre foi tratada com a devida importância. Brasília é uma cidade jovem, planejada e futurista, e a preservação do conjunto urbanístico exige ação conjunta entre governo e sociedade”, destacou o governador Agnelo Queiroz.

O vice-governador Tadeu Filippelli ressaltou a influência da valorização da cidade para o desenvolvimento do país. “Brasília foi construída não somente como capital, mas para ser uma vertente de desenvolvimento para o Brasil. Precisamos nos empenhar em manter a harmonia entre o céu, a modernidade e os traços arquitetônicos da cidade”, afirmou.

O secretário-chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, enfatizou o caráter multidisciplinar do encontro. “O seminário possui um caráter mais amplo do que a preservação em si. As discussões não estão concentradas em apenas uma área, mas baseadas em uma visão estratégica de projetar Brasília no contexto nacional e internacional”, apontou. Desenvolvimento sustentável – Durante a solenidade de abertura do seminário, algumas questões foram apontadas como essenciais para as metas de conservação do projeto original de Lúcio Costa frente ao crescimento de Brasília. Entre elas, a melhoria do transporte urbano, a regularização e fiscalização de áreas ilegais e a descentralização dos postos de trabalho.

 Agnelo Queiroz salientou a importância de uma política habitacional planejada, de um sistema de transporte público digno e da atenção ao meio ambiente. A criação de uma região metropolitana no DF também foi citada pelo governador. Ele aposta na criação de polos de desenvolvimento para garantir mais qualidade de vida à população. Os impactos positivos da participação popular no processo de preservação foram destacados pelo secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Geraldo Magela. “Precisamos de um planejamento participativo e de um controle que seja responsabilidade não apenas do Estado, mas também da população”, opinou Magela.

Programação – Ao final do dia, o seminário apresentará uma síntese das discussões. O encontro será encerrado com um debate sobre a articulação de ações governamentais que envolvem princípios do projeto original de Lúcio Costa, o tombamento do Plano Piloto e a realidade contemporânea.

A mesa de abertura do seminário também foi formada pelo secretário de Transporte, José Walter Vazquez; o presidente da Terracap, Antônio Carlos Lins; o presidente da Codeplan, Salviano Guimarães; o superintendente do Iphan, Alfredo Gastal; o reitor da Universidade de Brasília, José Geraldo de Sousa, e o presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil no DF, Paulo Henrique Paranhos.

 

fonte: Agência Brasilia