4jul/160

GDF estima conclusão de obras na orla do Lago Paranoá em 60 dias

Até março, cerca de 10 km foram desobstruídos; STJ cancelou proibição.Na última quinta, Ibram e Novacap fizeram vistoria em obras iniciadas

 Do G1 DF

Após uma série de vistorias nas obras da orla sul do Lago Paranoá, o governo do Distrito Federal informou que deve levar 60 dias para concluir a manutenção da área. Cerca de 10 quilômetros já foram desobstruídos e, agora, precisam receber obras de infraestrutura.

Na última quinta-feira (30), o GDF percorreu a área para avaliar o "estrago" no período em que as obras ficaram interditadas. A Novacap e o Ibram, responsáveis pela execução das obras do governo e pela conservação dos parques e águas, respectivamente, informaram que não houve alterações significativas durante o período.

Segundo o Ibram, 30 mudas de plantas nativas plantadas na área foram perdidas. O GDF afirma que pretende retirar as sobras de estruturas deixadas após as desocupações.

O trecho em que estão as obras vai do Parque Asa Delta ao Parque da Península, ambos na QI 12 do Lago Sul. O governo deve recuperar a área demarcada para a ciclovia, onde seis quilômetros e meio vão ser limpos e depois asfaltados.

Segundo o subsecretário de Projetos da Secretaria de Infraestrutura, Luiz Batelli, os visitantes poderão acessar a orla do lago logo após as equipes de manutenção fazerem roçagem, poda e reposição das mudas no local.

"Fazendo isso, a gente torna a orla segura para frequência, porque esse é o grande objetivo. Então, a pessoa pode vir para uma contemplação. Obra é uma coisa que a gente nunca termina, né", diz o gestor.

A desocupação da orla sul do Lago Paranoá foi suspensas em março após decisão do Tribunal Regional Federal alegar danos ambientais na área. Na última quarta-feira (29), o Superior Tribunal de Justiça determinou que ações relacionadas à recuperação da orla do lago devem ser analisadas pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

Sem projeto

O GDF espera lançar um edital ainda neste ano para escolher o projeto urbanístico, com a participação da comunidade. Após a aprovação, o governo deve ir em busca de uma parceria público-privada.

"Isso envolve um investimento significativo. Você ter parques, jardins, equipamentos público na beira do Lago Paranoá, parquinhos, isso vai exigir grandes investimentos", diz o chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio.