28out/120

Mais de 1,6 milhão de mudas para o DF

Governador Agnelo Queiroz assina decreto que estabelece programa Tempo de Plantar, para recuperar áreas degradadas do Distrito Federal, e protocolo para plantio de mudas como compensação ambiental do Noroeste

Da Redação

Agência Brasília, 28 de outubro de 2012 - Mais de 1,6 milhão de mudas nativas do Cerrado serão plantadas em todo o Distrito Federal a partir deste ano. Essa é a meta do programa Tempo de Plantar, instituído por decreto assinado neste domingo (28) pelo governador Agnelo Queiroz, que estava acompanhado da primeira-dama, Ilza Queiroz, e do vice-governador, Tadeu Filippelli.

Pelo decreto, a primeira semana de novembro entra no calendário oficial do DF como o período de mobilização para o reflorestamento e recuperação do Cerrado. Durante o período, vários parceiros do programa vão desenvolver ações com o objetivo de executar compensações ambientais e florestais, além do plantio de forma colaborativa.

“Nossa intenção é mudar a cultura da população em relação ao meio ambiente, para que a preservação se torne um hábito da nossa cidade”, destacou o governador Agnelo Queiroz. “Assim, esperamos que, nos próximos 10 a 15 anos, a população continue se mobilizando para recuperar o Cerrado nessa mesma semana de novembro”,completou.

O vice-governador, Tadeu Filippelli, destacou a medida como uma resposta do governo ao compromisso de manter a qualidade do meio ambiente no DF. “Assim, plantamos o futuro para os cidadãos do Distrito Federal e resgatamos a meta de manter o nosso patrimônio verde”, declarou.

A semana do Tempo de Plantar encerra no próximo domingo (4/11) com o Festival Green Move, na Esplanada dos Ministérios. Estão previstas atividades culturais e de conscientização ambiental. Os grandes destaques serão os shows de Rita Lee, Titãs e Jota Quest.

Um milhão de mudas – Durante o evento, também foi assinado o protocolo de intenções para o plantio de um milhão de árvores nativas do Cerrado como compensação do impacto ambiental causado pelos empreendimentos do Setor Noroeste.

O presidente da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), Antônio Carlos Lins, explicou que a ação será mais ampla que o simples plantio. “Esse protocolo prevê que as plantas não serão apenas oferecidas, mas também haverá todo um trabalho de acompanhamento nos próximos dois anos”, garantiu Lins.

Assinaram o documento o governador Agnelo Queiroz; o vice-governador, Tadeu Filippelli; os secretários de Meio Ambiente, Eduardo Brandão, e de Agricultura, Lúcio Taveira Valadão; o presidente da Terracap, Antônio Carlos Lins; os presidentes do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Milton Reis, da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Nilson Martorelli, e da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa), Vinícius Benevides; e o administrador Regional de Brasília, Messias de Sousa.

Além disso, está prevista a destinação de aproximadamente 120 mil mudas para o projeto Descoberto Coberto de Adequação Ambiental. O reflorestamento, que teve início no ano passado, vai revitalizar as margens degradadas com assoreamentos. A iniciativa se torna emergencial, já que a Bacia do Descoberto é responsável por 65% do abastecimento da população do DF.

Novos plantios ocorrerão nos próximos meses. A Novacap será responsável por 60 mil mudas. A Secretaria de Meio Ambiente deverá plantar 320 mil, e a Secretaria de Agricultura, mais 120 mil. Já o projeto Rio São Bartolomeu Vivo, também de recuperação de margens e nascentes, vai plantar 150 mil mudas com o suporte da Fundação Banco do Brasil (FBB).

Rio+20 – Na assinatura do decreto, o Governo do Distrito Federal também inaugurou o Bosque Rio+20, no Parque de Usos Múltiplos da Asa Sul, onde atualmente cerca de mil mudas estão plantadas. Todas foram selecionadas pelos participantes da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), por meio dos totens interativos do projeto Plante uma Árvore. Entre os conferencistas estava o governador Agnelo Queiroz.

Na solenidade, o governador disparou digitalmente o certificado para todos os que tinham feito o plantio digital durante a Rio+20. “Eles receberão em seu e-mail a certificação de qual tipo de muda do Cerrado escolheu e onde será plantada”,afirmou Agnelo Queiroz. Mais quatro parques do DF devem receber as novas mudas. São os parques ecológicos Ezechias Heringer (Guará), o de Águas Claras, o da Ermida Dom Bosco e o Bosque dos Constituintes.

Dois programas – Junto com o programa Tempo de Plantar, que busca conscientizar as pessoas de que o início das chuvas é a hora certa de reflorestar o Cerrado, o secretário do Meio Ambiente, Eduardo Brandão, também destacou o projeto Tempo de Cuidar, que será realizado no período da estiagem, com ações de combate à degradação ambiental e de prevenção contra incêndios.

“Este é o governo que mais tem investido nas questões ambientais, para resgatar tudo o que foi degradado. Com mais medidas, estaremos dando continuidade ao bom trabalho”, informou o secretário.