2jul/150

Mulher manda matar o marido para ficar com seguro e não havia dinheiro

Suspeitos foram apresentados pela Polícia Civil Polícia Civil / Divulgação

Do R7

Uma mulher que sofria constantes agressões do marido mandou matar o companheiro para ficar com R$ 100 mil do seguro de vida. Ela não ficou com o dinheiro e ainda foi presa pela Polícia Civil, que desmascarou a farsa.

Maria Aparecida dos Santos, de 35 anos, apontada como mandante do assassinato de Alexandre Ferreira Eficácio, de 41, foi apresentada nesta quarta-feira (1º) pela Polícia Civil.

Logo depois da morte, Maria Aparecida tentou sacar o dinheiro, mas foi informada que o companheiro estava inadimplente desde agosto de 2014.

O matador de aluguel seria Ronan Santos Gonçalves, o “Mofado”, que cumpria pena por homicídio e aproveitou uma saída temporária no dia 10 de outubro de 2014 para executar a vítima. Ele invadiu a oficina de Eficácio e disparou 13 vezes. A oficina fica no bairro São Benedito, em Santa Luzia, na Grande BH.

Mofado é suspeito de 15 homicídios.

Durante as investigações, Aparecida afirmou que não tinha contato com Mofado há dez anos, mas a polícia descobriu mensagens recentes em que o atirador cobrava uma dívida – provavelmente, o pagamento pelo assassinato.