26nov/120

Polícia prende cem pessoas em operação no DF nesta segunda

Mandados de prisão são por crimes como roubo, homicídio e latrocínio. Operação envolve 600 policiais e deve durar até as 5h desta terça (27).

Do G1 DF

Diretores da polícia civil do DF anunciam os resultados das primeiras horas da operação que resultou na prisão de 100 pessoas na manhã desta segunda (26) (Foto: Lucas Nanini/G1)
PC/DF anunciam prisão de 100 pessoas na manhã desta segunda (26) (Foto: Lucas Nanini/G1)

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu cem pessoas na manhã desta segunda (26), durante a “Operação Alvorada”, para cumprimento de mandados contra acusados de crimes como furto, roubo, latrocínio, tráfico de drogas, porte ilegal de armas, homicídio e estupro.

A ação contou com a participação de todas as delegacias do DF e envolveu 600 homens e 150 veículos da polícia. A operação teve início às 5h desta segunda e será concluída às 5h desta terça (26). Em 80% dos casos, os presos tinham mais de um antecedente criminal, segundo a polícia.

A delegada Mailine Alvarenga, da Delegacia de Capturas e Polícia Interestadual, afirma que as regiões administrativas com maior número de mandados são Ceilândia e Samambaia. Cinco dos presos residem em cidades do Entorno.

Esta é 17ª ação operação do tipo realizada pela polícia – a quarta deste ano, que resultou na prisão de 700 pessoas. No total, foram expedidos 1.050 mandados pela Justiça em 2012.

“Essa é uma operação fora da rotina normal. É montada uma estrutura específica para chegar até as pessoas que não são encontradas na investigação normal”, afirma o diretor do Departamento de Polícia Especializada, Eric Seba.

A polícia afirmou que boa parte dos mandados resultou de investigações que foram abertas após denúncias da população. O grande volume também se deu por causa da greve civil da Polícia Civil do DF, que durou cerca de três meses.

Segundo o diretor do Departamento de Polícia Circunscricional (DPC), Marcelo de Paula Araújo, a realização da operação nesta época é uma forma de diminuir a sensação de insegurança nas ruas no período de maior circulação de dinheiro por causa das compras de fim de Natal.

“Nessa época a polícia passa a se preocupar mais com a questão patrimonial. Por isso o grande número de mandados e prisões”, disse Araújo.