15out/120

Policial João Dias se envolve em briga com vizinhos, no DF; veja vídeo

Vizinhos dizem que obra na casa de PM passa do horário permitido. Dias admitiu que erro com obra, mas falou que vizinhos iniciaram confusão.

Do G1 DF

O policial militar João Dias, responsável por delatar um suposto esquema de corrupção no Ministério do Esporte que levou à demissão do ex-ministro Orlando Silva, se envolveu em uma briga de vizinhos na noite deste sábado (13), conta reportagem do Bom Dia DF. A confusão foi filmada pela família do vizinho. A polícia foi chamada.

O engenheiro Nauro Scheufler e a esposa dele, a professora Cláudia Scheufler, contam que o problema é a obra na casa de João Dias, que extrapola o horário permitido pela convenção do condomínio Bela Vista, em Sobradinho II, Distrito Federal.

“Começou de manhã, seguiu no horário permitido, que é até 14h, e extrapolou até 20h. Aí que a gente, desesperado, pediu pra parar com o barulho, que ninguém aguentava mais, foi quando começou todo o tipo de xingamento”, relata Nauro Scheufler.

O policial militar não quis gravar entrevista com a equipe de reportagem da TV Globo, mas admitiu que nos últimos três dias a obra passou do horário para deixar a casa pronta para um evento de família. Afirmou ainda que nunca foi notificado pela administração do condomínio e que foram os vizinhos que começaram a confusão.

A discussão foi filmada pela família do servidor público. João Dias e mais sete homens vão para frente da casa de Nauro, avançam sobre o portão. Um dos funcionários da obra mostra as partes íntimas. Há xingamentos dos dois lados. João Dias vira para um deles e cita um calibre de arma...

saiba mais

“Ele vir como vizinho na porta da minha casa é uma coisa, agora ele vir na porta da minha casa com oito pessoas, mostra o que? Completamente desequilibrado”, comenta a professora.

“Jogaram sacos, baldes de água, sacos de água, pedras, jogaram na gente e nós estávamos no corredor nessa hora”, falou Davi Santos, um funcionário da obra.

João Dias não quis ir à delegacia.“Também seu funcionário que parece, ao nosso entendimento, seja pessoa da casa, um segurança, também disse que não compareceria à DP conosco”, disse o sargento Eurimar Lêla, do 13º batalhão.

O caso está sendo investigado pela delegacia de Sobradinho II. Se for confirmada a versão do vizinho, João Dias pode responder por quatro crimes: ameaça, perturbação do sossego, ato obsceno e injúria. “Esta semana nós vamos intimar João Dias, os comunicantes, e tentar identificar os outros que estavam com ele”, afirmou o delegado Rogério Henrique Oliveira.

Histórico Há cerca de três semanas, João Dias foi parar na delegacia por causa de outra confusão. Funcionários de uma marmoria disseram que foram agredidos pelo policial militar. O PM negou e disse que teve a casa invadida.

Em dezembro do ano passado, João Dias foi preso em flagrante depois de agredir funcionários do Palácio do Buriti e jogar maços de dinheiro no gabinete do secretário de Governo. Ele ficou detido no presídio da Papuda