23set/120

PT deve ficar fora do segundo turno em Porto Alegre

Enfraquecido na disputa pelas principais capitais nas eleições municipais deste ano, o PT pode ficar de fora de um segundo turno em Porto Alegre pela primeira vez desde a redemocratização do país. Apesar de petistas na cidade não admitirem, membros do comando do partido já trabalham com a hipótese, tendo em vista as últimas pesquisas de intenção de voto, que indicam que o PT não passa de 10%, longe do histórico piso de 30% que a legenda costumava ter no município. Além do cenário pouco promissor para o primeiro turno, há um racha em relação a quem será apoiado pelo partido no segundo turno.

Isso porque, antes de chegar à decisão de lançar o deputado estadual Adão Villaverde, as disputas internas desequilibraram o partido. O PT dividiu-se, e houve segmentos que defenderam, na falta de nomes de relevância, não lançar candidato próprio. Desta vertente surgiu uma subdivisão entre os que pretendiam apoiar o prefeito José Fortunati (PDT) e o grupo que queria uma aliança com Manuela D‘Ávila (PCdoB). Vencida a hipótese, ao menos três nomes do PT brigaram pelo posto de candidato: além de Villaverde, o presidente do PT estadual, Raul Pont, e o presidente municipal do partido, Adeli Sell...

A ausência da presidente Dilma Rousseff na campanha gaúcha — considerada essencial pelos petistas — também preocupa, já que, além da força institucional do cargo, trata-se de seu domicílio eleitoral. Dilma decidiu manter distância da campanha para não melindrar os outros candidatos, que também são da base e reivindicam sua simpatia.

— A presidente Dilma nos apoia, não por causa da relação pessoal, mas porque tem um acordo político e programático conosco. Os outros candidatos estão usando a relação com ela para tergiversar — ataca Villaverde.Informações de O Globo.