19ago/130

Redução na conta de luz beneficia 82 mil famílias de baixa renda no DF

 Quantidade atingida é fruto de ação conjunta entre CEB e Sedest para identificar lares que tinham direito ao desconto 

 Agência Brasilia

 O abatimento na conta de luz pelo programa "Tarifa Social de Energia" chegou, neste mês, aos lares de 82 mil famílias de baixa renda – quantidade alcança com articulação entre CEB e Secretaria de Desenvolvimento e Transferência de Renda (Sedest) para identificar pessoas que desconheciam o direito.

"Somos nós que estamos indo ao encontro da população e informando do direito, por isso, atingimos esse número. Qualquer redução na conta de luz melhora a vida da população que vive com renda pequena", enalteceu o governador Agnelo Queiroz, em solenidade na sede da empresa pública.  

A Tarifa Social – instituída pela Lei Federal 10.438/2002 – possibilita a redução de até 65% na conta de energia de famílias de baixa renda. O número de beneficiados, até este mês, representa aumento de 300% em relação a outubro de 2012, quando apenas 24 mil pessoas recebiam o desconto.  

A aposentada Veronica Ribeiro, 78 anos, mora com o filho na Expansão do Setor O, em Ceilândia. Ela conta que recebeu, em sua última fatura o primeiro abatimento e usará o dinheiro em outras aplicações..... 

"Minha conta caiu quase pela metade. Costumo consumir de R$30 a R$40 por mês e fiquei surpresa quando vi apenas R$ 17 na conta. Essa economia é muito importante para mim, que gasto muito com remédios", comemorou a aposentada.  

O presidente da CEB, Rubem Fonseca, destacou que as famílias nem precisam sair de casa para ser inscritas na Tarifa Social de Energia.  

"Sabemos essas pessoas, muitas vezes, não conhecem o programa. Por isso, nos unimos à Sedest, que forneceu os dados de famílias de baixa renda do CADúnico (Cadastro Único). Com esse cadastro, procuramos as famílias, que recebem o desconto automaticamente", destacou Fonseca.  

O secretário da Sedest, Daniel Seidel, explicou que 240 mil famílias estão inscritas no CADúnico e, destas, 93 mil são beneficiárias do Bolsa Família. "Esse governo tem se caracterizado pela proatividade na área social para garantir o direito de quem tem prioridade", disse.  

IMPACTO NO COMÉRCIO -Em agosto, o abatimento nas contas de energia somam R$1.328 milhão e a expectativa é de que, em um ano, o valor chegue a R$16 milhões. Esse valor vai impactar na economia local, pois as pessoas utilizarão a dinheiro do desconto em padarias, supermercados e no comércio em geral.  

"Nós também já percebemos outra mudança, que é a queda da inadimplência no pagamento de contas, porque agora as pessoas podem pagar o valor cobrado (que é menor)", destacou o presidente da CEB.  

BENEFICIÁRIOS - Para receber o desconto, é necessário que a unidade consumidora seja residencial e a família atenda um dos requisitos abaixo:  

· Estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo;  

· Receber o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social. Este contempla pessoa com deficiência e idoso com 70 anos ou mais, e que comprove não possuir meios de prover a própria manutenção e nem de tê-la provida por sua família;  

· As famílias inscritas no Cadastro Único com renda mensal total de até 3 salários mínimos, que tenha portador de doença ou patologia cujo tratamento ou procedimento médico exija o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica.