31maio/160

Rodoviários param por quatro horas no DF em ato por reajuste salarial

Ato afeta Gama, Samambaia, Sobradinho, Ceilândia, Paranoá e Planaltina.Motoristas recebem atualmente R$ 2.121 e cobradores, R$ 1.108

 Do G1 DF
Ônibus parados em terminal de Ceilândia Norte, no DF, nesta terça-feira (31), durante paralisação-relâmpago de rodoviários (Foto: Mateus Vidigal/G1)

Ônibus parados em terminal de Ceilândia Norte, no DF, nesta terça-feira (31), durante paralisação-relâmpago de rodoviários (Foto: Mateus Vidigal/G1)

Motoristas e cobradores de ônibus decidiram cruzar os braços entre 11h e 15h desta terça-feira (31) em seis regiões administrativas do Distrito Federal. Eles pedem reajuste de 20% nos salários e no valor do tíquete-alimentação.

A categoria informou que 4 mil rodoviários haviam aderido ao ato – ao todo, são 12 mil. As regiões afetadas são Samambaia, Ceilândia,Paranoá, Sobradinho, Gama e Planaltina. A Transit, empresa que representa as companhias de ônibus na negociação, informou que não vai comentar o assunto no momento.

De acordo com o secretário de Comunicação do Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal, Marcos Junio Duarte, as negociações já ultrapassam um mês, porém não há avanços. "Negociação aparentemente tem.

Afinal nós nos reunimos, apresentamos nossa pauta e já cobramos vários vezes um acordo, porém, as empresas nem aceitam nossas reivindicações, como também não apresentam nenhuma contraproposta.”

"Nós apresentamos nossas demandas para as empresas e ouvimos que eles não podem negociar enquanto o governo não fizer o repasse referente ao ajuste do ano passado. Enquanto o governo não pagar as empresas, não vai haver negociação", completou o diretor financeiro do sindicato, João Osório da Silva.

Atualmente o salário dos motoristas de transporte público do DF é de R$ 2.121 e dos cobradores, R$ 1.108. O tíquete é de R$ 660.